Quarta-feira, 17 de Julho de 2013

ISTO DE IR ÀS COMPRAS... TEM QUE SE LHE DIGA.

ISTO DE IR ÀS COMPRAS... TEM QUE SE LHE DIGA.



“Por muito que pensasse porquê, mas a história foi de um aziar que só o Remidor sabe. Nem as convalárias espalhadas a esmo pelas bermas da estrada me alegravam…

Senti que não estava nos meus dias… não era defacto um dia inerrante para mim. O que aconteceu? Eu explico: 

- Trazia umas mabundas na mão, de repente uma delas caiu. Apesar do peso, de todas, em conjunto, não tive problemas em me baixar repentinamente para apanhar a mais pesada que tinha caído. Armei em maludo e… ouvi um ruidar que me deixou no mesmo sitio… de cócoras… nada de subitâneo me ocasionou. Mas que algo se derruiu ou estrinchou, isso foi. O churriar não era grande, mas deu para apreender.

Não fosse um osso… longe disso… “ Que o diabo seja surdo, mudo e paraplégico”… ergui-me devagar não fosse o churriar começar de novo…

Sou intemente, mas agora lembrei-me de O solicitar… O Remidor virá em meu auxilio concerteza… Rendidura não tinha… que demo seria?... fazendo um churriar tão estranho… É claro que não me interessava estar para ali a sezoar. Fiquei novamente de pé. Por estranho que pareça não senti nada de anormal ou estranho… era o caso um pouco anfigúrico. Um pau-d’água olhou para mim numa perplexidade que só visto… Claro que noventa por cento era álcool… Mas que deve ter achado estranho, isso foi!

Comecei a andar, calmo, apesar do haltere… Nada se me fez mais… Mas algo se passava porque quem por mim cruzava… deitava uma olhadeira. Deveria ser uma das mabundas que devia estar lanhada… Tudo bem… se caísse alguma coisa, logo se veria… Andei mais uns bons cem metros até casa. Nada de novo então, em relação ao caso… entretanto, estranho…

Abri a porta de casa e entrei. Fui directo ao local onde se pratica a gastrologia. Pousei tudo, a mulher olha para mim e diz:

“ A esfinge é micante, mas escusava de ser tão explicita!”

Franzi o sobrolho e fui ver ao espelho o que seria o ferrete. Bom… o que vi deixou-me em agonia…Há dias assim.

O ruidar deveu-se a umas declarações de liberdade das linhas para com o tecido do cós e… pasme-se, as testemunhas estavam livremente a olhar a calçada do passeio… até casa…Eu sabia que não tinha nenhuma rendidura.

Viriato Mondeguino


publicado por viriatomondeguino às 18:01
link do post | favorito
|
Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. ISTO DE IR ÀS COMPRAS... ...

.arquivos

. Julho 2013

SAPO Blogs

.subscrever feeds